Message from Director-General of UNESCO on the occasion of the International Day for Disaster Reduction 13 October 2017

Disasters produced by natural hazards strike societies at the heart and affect millions of people every year worldwide. These past months have been particularly destructive, when all have seen the extent of the threat and of our own vulnerability. Cyclones in the Caribbean and the USA have far exceeded in intensity the typical seasonal levels, and the population of Mexico has been severely hit by earthquakes, to name but a few examples. Human activities are linked to this escalation.

Read the full text:

English version  International Day for Disaster Reduction

Portuguese version Dia Internacional para a Redução dos Desastres Naturais

Spanish version Dia Internacional para la Reducción de los Desastres

Advertisements

DEBATE DO DIA MUNDIAL DO TURISMO

Dia Mundial do Turismo: 27 de setembro de 2017

Debate com os alunos da licenciatura em Turismo da UTAD

Turismo sustentável – responsável: Cosmética, utopia ou realidade? Mais além da turismofilia e da turismofobia

No dia 27 de setembro de 2017 a licenciatura em turismo da UTAD celebrou o dia mundial do turismo com um debate sobre turismo responsável que contou com a participação dos alunos do 3º Ano de Turismo, docentes e investigadores do CETRAD. O objetivo do debate foi pensar o turismo do futuro e o seu papel na relação com os eco e etnodesenvolvimentos.

Xerardo Pereiro (diretor da licenciatura de turismo da UTAD) começou o debate por contextualizar a problemática do turismo sustentável e a importância da responsabilidade do turismo num cenário atual de moralização do turismo e de tensão entre dois polos ou movimentos sociais classificados como turismofilia e turismofobia. Neste sentido passamos de uma posição pró-turismo própria dos anos 1960, a outras catalogadas como antiturismo e alterturismo. Como exemplo desta moralização ideológica do turismo foram mostrados exemplos de Barcelona, Berlim e Veneza.

Seguidamente, Edgar Bernardo (UTAD-CETRAD) introduziu o conceito de sustentabilidade 2.0 (ecológica, económica, social, cultural, política e tecnológica) na sua relação com o turismo. Também abordou as diferenças entre turismo sustentável, muito criticado hoje e considerado cosmético e discurso vazio por muitos, e o turismo responsável, no qual estão implicadas as empresas como princípio, prática, marketing e responsabilidade social corporativa.

A continuação, Artur Sá (UTAD), responsável pela cátedra UNESCO da UTAD em Geoparques, Desenvolvimento Sustentável e Estilos de Vida Saudáveis, fez uma exposição de princípios, exemplos e caminhos concretos para um melhor turismo responsável. Entre os princípios destacou a diferença entre um geoparque e um parque temático lúdico, e a relação entre patrimónios culturais e naturais, a re-conexão entre seres humanos e a terra –ou GAIA- (planeta com 4.600.000 anos de história), a ligação entre geodiversidade e a biodiversidade, o desenvolvimento sustentado e o sustentável. Afirmou que o sustento de um geoparque é o território (ex. Geoparque Terras de Cavaleiros), e que este representa uma estratégia de desenvolvimento sustentado com envolvimento da comunidade. Entre as práticas, fez uma análise detalhada de alguns exemplos de geoparques na China e do Geoparque Naturtejo, gerido por uma empresa intermunicipal e orientado ao turismo, para ilustrar como o geoturismo anteriormente era um nicho e hoje é um segmento muito importante. Também analisou o Geoparque de Arouca, com benefícios económicos de 15 milhões de Euros ao ano, e os Passadiços do Paiva. Este último foi utilizado como exemplo dos riscos de massificação turística (ex. chegou a ter 12.000 visitantes por dia) e a necessidade de regulamentar e limitar o acesso (hoje limitado a 3000 pessoas por dia). Logo também contrastou dois exemplos o caso de Foz Côa, onde se investiram cerca de 8 milhões de euros para atingir 32.000 visitantes por ano (longe ainda de ultrapassar a capacidade de carga), e a Casa das pedras parideiras (Geoparque de Arouca), no qual se investiram apenas 200.000 Euros e atingiram 30.000 visitantes ano, criando emprego, envolvendo a comunidade local e educando aos visitantes numa experiência imemorável. Artur Sá conclui a sua excelente intervenção colocando a ênfase na importância da investigação e da comunicação com o visitante.

O debate posterior foi animado por Ricardo Bento, Nieves Losada, Veronika Joukes e Mila Simões de Abreu (UTAD – CETRAD). Foram abordadas a capacidade de carga turística de um território, o défice de planeamento, a importância da redistribuição da carga, a necessidade de controlar as reações compulsivas ou impulsivas contra turismo utilizando ferramentas de planificação turística. Além mais foram debatidos outros assuntos não menos importantes como a falta de definição dos limites de carga turística em muitos destinos, a diversidade nas dificuldades de acesso a determinados destinos turísticos (ex. cidades) e a dificuldade em controlar estes acessos, a falta de coordenação e articulação entre políticas que satisfaçam os turistas, o turismo e a comunidade local. Após duas horas de intercâmbio e debate de experiências e perspetivas, o ato foi encerrado com satisfação pelos seus participantes.

 

Edgar Bernardo (UTAD|CETRAD)

Artur Sá (Cátedra UNESCO|UTAD),

Xerardo Pereiro (UTAD|CETRAD)

Veronika Joukes (UTAD|CETRAD)

Nieves Losada (UTAD|CETRAD)

Ricardo Bento (UTAD|CETRAD)

 

A Decade of Progress on Education for Sustainable Development Reflections from the UNESCO Chairs Programme

UNESCO, as the United Nations’ specialized agency for education, is entrusted to lead and coordinate the Education 2030 Agenda, which is part of a global movement to eradicate poverty through 17 Sustainable Development Goals by 2030. Education, essential to achieve all of these goals, has its own dedicated Goal 4, which aims to “ensure inclusive and equitable quality education and promote lifelong learning opportunities for all.” The Education 2030 Framework for Action provides guidance for
the implementation of this ambitious goal and commitments.

Read the full report: A Decade of Progress on Education for Sustainable Development

 

Argentine Congress: Geological Heritage, Geoparks, Sustainable Development & Healthy Lifestyles

In the Argentine city of Tucumán will be held the Argentine Congrees by the National Geological Survey in partnership with the UNESCO Chair on Geoparks, Sustainable Regional Development & Healthy Lifestyles.

This event has a main goal the discussion and promotion of potential new territories in Argentina and Latin America which aims to become an UNESCO Global Geopark

More info: http://congresogeologico.org.ar/simposios/patrimonio-geologico-geoparques-desarrollo-sostenible-estilos-vida-saludables/

Portugal poderá garantir mais sete Cátedras UNESCO “num futuro próximo – MNE

Portugal poderá garantir mais sete Cátedras UNESCO “num futuro próximo – MNE

Lisboa, 10 maio (Lusa) – A constituição de mais sete Cátedras UNESCO em Portugal poderá ser concretizada num futuro próximo, um elemento “muito positivo” no âmbito da missão desta organização das Nações Unidas, referiu hoje em Lisboa o ministro dos Negócios Estrangeiros.

“Neste momento julgo haver propostas para a constituição de mais sete Cátedras UNESCO em Portugal, o que quer dizer que pode acontecer que mais que duplique no futuro próximo, o número de Cátedras UNESCO existentes em Portugal. Isso é um elemento muito positivo”, considerou Augusto Santos Silva, que participou na celebração dos “25 anos do Programa Cátedras UNESCO), na Fundação Calouste Gulbenkian.

Na sua intervenção de abertura, o chefe da diplomacia recordou que estas Cátedras UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) integram “três ou quatro características essenciais”, que enumerou.

“Portugal chegou relativamente tarde a esse programa visto que a primeira Cátedra que se iniciou em Portugal foi a cátedra de bioética na universidade Católica portuguesa em 2009, em Portugal só daqui a dois anos é que comemoraremos a primeira década das cátedras portuguesas no programa das cátedras UNESCO”, recordou Augusto Santos Silva.

O ministro referiu, contudo que estão “bem distribuídas” pelo território continental as seis cátedras existentes, três das quais iniciaram as suas atividades em 2016.

O programa UNITWIN/Cátedras UNESCO foi estabelecido em 1992 e reúne hoje mais de 700 instituições em 116 países, tendo sido lançado com os objetivos de desenvolver e divulgar o conhecimento em áreas temáticas específicas, através da cooperação entre instituições académicas, e com a sociedade civil.

Outro dos objetivos consiste em contribuir para intensificar a “cooperação Norte-Sul; Sul-Sul; Norte-Sul-Sul”, através da criação de polos de excelência e inovação, ou ainda de contribuir para a prossecução de uma Cultura da paz e de desenvolvimento sustentável.

Nesta perspetiva, o ministro dos Negócios Estrangeiros assinalou ainda o facto de as atividades das cátedras portuguesas UNESCO “valorizar muito a colaboração com entidades educativas, cientificas, patrimoniais, ou de outra natureza pública, de diferentes países. Não só os países de língua portuguesa como também outros países” e enalteceu a “orientação para o futuro” destes programas.

O chefe da diplomacia também não deixou de aludir à já anunciada candidatura de Portugal ao Conselho executivo da UNESCO (2017-2021) cuja eleição é em novembro de 2017, no ano em o país termina o seu mandato como Comité do património mundial desta organização das Nações Unidas.

“Pertencemos a um grupo de votação, o chamado grupo ocidental, concorremos neste caso e felizmente sempre com países muito amigos, candidaturas muito fortes, mas confiamos também no valor da nossa candidatura. Porque essa candidatura representa sobretudo o facto de Portugal gostar de assumir todas as responsabilidades que são as suas enquanto membro do sistema internacional das Nações Unidas e em particular enquanto membro da UNESCO”, assinalou.

*** Serviço áudio e vídeo disponível em www.lusa.pt ***

PCR // ANP

Lusa/Fim

IV Simposio Latinoamericano y el Caribe sobre Geoparques Arequipa – Perú

IV Simposio Latinoamericano y el Caribe sobre Geoparques a llevarse a cabo en la ciudad de Arequipa – Perú  durante el 23 y 24 de mayo sesiones orales (Arequipa)  y el 25 y 26 de mayo visita de  campo al Colca y Volcanes de Andagua.

El evento busca  convocar a reconocidos profesionales e investigadores del ámbito nacional e internacional para dar a conocer y colectivizar trabajos e investigaciones desarrolladas en esta temática, buscando constituir un espacio de difusión, dialogo y análisis sobre la importancia del estudio, conservación y puesta en valor de los recursos naturales y culturales, potenciales para la creación de geoparques.

Mas información: http://intranet2.ingemmet.gob.pe:85/geoparques

Summer University on Geoparks, Sustainable Regional Development & Healthy Lifestyles, July 2017

The UNESCO Chair on “Geoparks, Sustainable Regional Development and Healthy Lifestyles” has proposed from the beginning to develop a set of transferring knowledge initiatives and promoting cooperation, in order to integrate the multiple approaches related to the territorial development engaging local communities and visitors in better socio-economic and healthier lifestyles. With this efforts it is expected to stimulate learning and promotion of core competencies such as critical and systematic thinking, collaborative decision-making, and taking responsibility for present and future generations.

In this framework will be organized the International Summer University on Geoparks, Sustainable Regional Development and Healthy Lifestyles as a new and multidisciplinary approach towards the capacity building on this subjects. As educational offer hosted in the University of Trás-os-Montes e Alto Douro (Vila Real, Portugal), this advanced formation includes an intensive series of seminars and workshops during two weeks.

Consult the Programm: https://unescochairutad.wordpress.com/program/

UNITWIN / UNESCO Chairs Programme

Launched in 1992, the UNITWIN/UNESCO Chairs Programme promotes international inter-university cooperation and networking to enhance institutional capacities through knowledge sharing and collaborative work.

The Programme supports the establishment of UNESCO Chairs and UNITWIN Networks in key priority areas related to UNESCO’s fields of competence – i.e. in education, the natural and social sciences, culture and communication.

Through this network, higher education and research institutions all over the globe pool their resources, both human and material, to address pressing challenges and contribute to the development of their societies. In many instances, the Networks and Chairs serve as think tanks and as bridge builders between academia, civil society, local communities, research and policy-making. They have proven useful in informing policy decisions, establishing new teaching initiatives, generating innovation through research and contributing to the enrichment of existing university programmes while promoting cultural diversity. In areas suffering from a dearth of expertise, Chairs and Networks have evolved into poles of excellence and innovation at the regional or sub-regional levels. They also contribute to strengthening North-South-South cooperation.

Today, the Programme involves over 700 institutions in 116 countries

http://en.unesco.org/unitwin-unesco-chairs-programme

 

Agenda 2030 Sustainable Development Goals

UNESCO Global Geoparks are highly strategic territories for the implementation of North-South, South-South and North-South-South cooperation projects, in order to contribute for the achievement of the Agenda 2030 Sustainable Development Goals. Also assuming that we are dealing with territories of Education, Science and Culture, the UNESCO Global Geoparks meet the necessary conditions for the implementation of an effective sustainable development for its inhabitants.

http://www.un.org/sustainabledevelopment/sustainable-development-goals/

UNESCO Global Geoparks

UNESCO Global Geoparks are single, unified geographical areas where sites and landscapes of international geological significance are managed with a holistic concept of protection, education and sustainable development. Their bottom-up approach of combining conservation with sustainable development while involving local communities is becoming increasingly popular. At present, there are 119 UNESCO Global Geoparks in 33 countries.

http://www.unesco.org/new/en/natural-sciences/environment/earth-sciences/unesco-global-geoparks/

Download UNESCO Global Geoparks info sheet